SingularityU Brazil e HSM convocam edtechs para o Learning Village

Serão selecionadas 25 startups de tecnologia em educação para residirem no espaço. As inscrições podem ser realizadas até o dia 15 de dezembro O Learning Village, primeiro hub de inovação e educação da América Latina, recebe inscrições de startups. Fundado pela SingularityU Brazil e HSM, o espaço tem como objetivo fortalecer e fomentar a inovação e educação no país por meio da aplicação de tecnologias exponenciais, desenvolvimento de pessoas e colaboração no ecossistema. 6º Edtech Meetup mostra o efeito 'de volta para o futuro' na Educação Serão selecionadas 25 edtechs e hrtechs (RH) em estágio de desenvolvimento Pré series A e fundadores full time e time mínimo estruturado. Os interessados devem se inscrever neste link até o dia 15 de dezembro. As startups selecionadas contarão com programas de desenvolvimento de negócios e produtos que incluem conexão com grandes empresas, mentoria, espaço de trabalho, programas da SingularityU Brazil, acesso à rede global da Singularity University e a programas específicos realizados internamente. Além de contato com especialistas em tecnologias exponenciais, líderes de grandes empresas, com o intuito de trazer visibilidade para a marca. A SingularityU Brazil é uma parceria estratégica entre a HSM e a Singularity University (SU) para entregar versões locais dos programas transformadores da SU para empresários e executivos brasileiros. Sua missão é apoiar as corporações brasileiras e líderes a entender melhor o impacto de tecnologias exponenciais, anteciparem tendências e prepará-los para agir. O Learning Village, localizado na Vila Madalena, abrigará um espaço de 3.000m² para desenvolver um ecossistema entre startups, grandes empresas e laboratórios de inovação, será um ambiente de networking, troca e aprendizado. Os residentes terão acesso a posições de trabalho, salas de reuniões e espaço para eventos. Banrisul lança hub de inovação com Tecnopuc Unicamp tem sua primeira rede de investimento-anjo: a UniAngels ESPM acelera incubadora de startups iniciada em 2020 O hub terá, ainda, estúdios de gravação, centrais de podcast, Espaço Maker. O objetivo é que os participantes possam estar em contato com as principais e mais disruptivas tecnologias que impactam o mundo. Além de permitir aprender na prática os conceitos e tecnologia e testar, em tempo real, as soluções antes de irem ao mercado, e diversas áreas colaborativas. O Learning Village já conta com vários parceiros como Founding Partners: Ambev, Ânima Educação, BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo, Deloitte, Hospital Sírio-Libanês, Unimed e Vibra e, como partners, Athie Wohnrath, CI&T, Egon Zehnder e Grupo Kallas. O hub abrigará também escolas de mindfulness e de programação. #educação #tecnologia #inovação #educador21 #edtechs #startups #learningvillagesingularityUBrazil