Rede estadual de ensino do RJ promete salto de qualidade em 2021

As 1,2 mil unidades escolares da rede ganharão conectividade de até 100 Mega de velocidade de internet. Seeduc também oferece 45 mil vagas de capacitação para professores em parceria com o Instituto Singularidades A rede estadual de ensino do Rio de Janeiro ganhará maior conectividade a partir deste ano. As escolas, que terminaram 2020 com uma média de apenas um Mega de velocidade de internet, começarão 2021 com o mínimo de 20, chegando até 100 Mega, de acordo com o quantitativo de estudantes matriculados. O salto de conexão, que inclui a disponibilização de wi-fi para alunos, se deve ao novo modelo de contratação de serviços de banda larga, agora feita diretamente pelas escolas, por meio de verbas disponibilizadas pela Secretaria de Estado de Educação. Planejamento pedagógico de 2021 vai exigir um 'olhar transversal' Pearson cria biblioteca interativa para alunos do Ensino Básico BNCC é referência para 90% dos professores na pandemia ESPM terá capacitação gratuita para professores do ensino médio O valor anual do investimento é de R$ 4 milhões. De acordo com o secretário de Estado de Educação, Comte Bittencourt, a medida vai adequar as 1,2 mil escolas da rede estadual às demandas de professores e alunos, especialmente em tempos de pandemia, com a intensificação do ensino remoto. "Cerca de 85% da nossa rede tinham apenas um Mega de velocidade, o que não atendia nem gestores nem alunos. Esse déficit tornou-se ainda mais evidente em função da pandemia, que demandou maior e melhor conectividade. Fizemos ajustes nas contas da Seeduc e criamos um modelo que dá mais flexibilidade para as unidades escolares e suas realidades locais", disse o secretário.. As novas medidas da Seeduc também consideraram a estratégia do Plano Nacional de Educação (PNE), que prevê a universalização do acesso à internet em alta velocidade nas escolas públicas brasileiras. A rede estadual também oferecerá vagas para a Trilha Formativa Ensino Híbrido, um compilado de cursos online de capacitação em ferramentas digitais. Serão abertas 45 mil vagas para professores, coordenadores e diretores de escolas. As aulas são fruto de uma parceria inédita entre a Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) e o Instituto Singularidades, uma das instituições mais prestigiadas em formação de professores do país. A Trilha contempla sete cursos online, que somam 110 horas de formação para o professor do estado no uso de ferramentas digitais dentro do sistema de ensino híbrido (remoto e presencial). Os módulos incluem o planejamento de aulas e novas formas de avaliação de alunos, produção de mídia, design gráfico, podcasts, jogos digitais, uso de aplicativos e tutoriais para produção de conteúdo online. As inscrições para os cursos permanecem abertas, neste link. O início das aulas está previsto para o dia 15 de janeiro. Os cursos oferecidos serão: Ensino Híbrido: Personalização e Tecnologia na Educação (40 horas) BNCC: Práticas e Culturas Digitais (10 horas) Metodologias Ativas de Aprendizagem: princípios, práticas e tecnologias (20 horas) Jogos e cultura digital na educação (10 horas) Narrativas em vídeo na educação (10 horas) Podcast e educação: a produção de mídia na escola (10 horas) Narrativas gráficas para educadores (10 horas) #educação #tecnologia #inovação #educador21 #atualizaçãodeprofessores