Mesmo online, entrega de prêmio é marcada por forte emoção

Conheça os projetos vencedores em cada categoria do Prêmio Educador Transformador e saiba como participar da próxima edição, que já está com as inscrições abertas. Tudo nesta cobertura completa do evento pelo Educador21 O ponto alto das premiações, além de proporcionar networking entre os participantes, é poder testemunhar a emoção dos vencedores. A grande dúvida dos organizadores do Prêmio Professor Transformador, quando decidiram realizar a cerimônia em ambiente virtual por causa da pandemia do novo coronavírus, era sobre a possibilidade de a tecnologia "esfriar" o momento. Realizado pela Bett Educar, Base2Edu e parceiros, a entrega simbólica do Prêmio Educador Transformador aconteceu nos últimos dias 14 e 15 de julho, com transmissão no YouTube. "É possível, sim, trazer emoção e dar uma abordagem humana a um evento online. Valeu muito a pena encarar os desafios. Professores transformadores, vocês são a nossa maior inspiração", disse Wellington Cruz, sócio e cofundador na Base2Edu. Bett Educar conecta educadores com eventos online Visivelmente emocionada, Maria Alice Carraturi, diretora de conteúdo da Bett Educar, agradeceu aos participantes pelo dia inspirador sobre a alegria de ser professor. E ressaltou a importância, especialmente neste momento único pelo qual a humanidade está passando, de compartilhar sentimentos com alunos. "É mágico. A relação entre professores e alunos precisa ser cada vez mais valorizada." Todos os finalistas que apresentaram seus projetos durante o evento receberão um prêmio em dinheiro, com valores que variam de acordo com a colocação final. Os primeiros colocados em cada categoria, além disso, ganharam uma viagem internacional. Eles participarão da Bett London, em 2021, na Inglaterra. Confira quem são os sortudos! Educação infantil Raelen Gonçalves, Mogi das Cruzes/SP - “Extra, extra, extra, tá na hora de brincar” A educadora desenvolveu, com seus alunos, um jornal da classe para comunicar aos colegas da escola e às famílias as brincadeiras, vivências e outras atividades realizadas em sala de aula. Graziela Dalcastagner, Brusque/SC - “Amigos da Horta” Anderson Kubiaki, Porto Alegre/RS - “Um brinquedo chamado Natureza” Ensino Fundamental I Alberto Rodrigues dos Santos, Piraju/SP - “Códigos da Cidade” Arte e colaboração em prol do meio ambiente. O projeto desenvolvido resultou na coleta de assinaturas para um abaixo-assinado em apoio à construção de uma unidade de tratamento de resíduos sólidos no município. Edivanderson Lopes, Santarém/PA - “Plantando Conhecimento” Janaína Fernandes, Belo Horizonte/MG - “Fábrica de Aventuras” Ensino Fundamental II Raquel Zandonadi, Praia Grande/SP - Fanfiqueiros de papel A educadora levou para a sala de aula a linguagem das “fanfics”, narrativas construídas pelos fãs de séries e personagens de quadrinhos (e, às vezes pessoas reais). O objetivo era trabalhar a Língua Portuguesa de uma forma atrativa para o jovem. Francilda Machado, São Bento/MA - “Sarilho: A História vira cena” Mytse Nogueira, Queimados/RJ - “Operação Carne Forte: o estudo dos nutrientes a partir da carne” Ensino Médio Flávia Arante, São Paulo/SP - “Clube da Luta” Projeto dirigido às meninas, a educadora abriu um espaço de confiança para que suas alunas pudessem conversar sobre a própria vida e seus desafios. Márcia Ribeiro, Palmas/TO - “Ciências com Elas: Meninas mudando seu mundo para mudar o mundo” Se fosse possível resumir a palestra do ator Wellington Nogueira, fundador da ONG Doutores da Alegria no Brasil, em uma palavra, seria tocante. O empreendedor social compartilhou sua trajetória profissional, iniciada na década de 1980 em um palco diferente: o tablado ocupado pelo professor nas salas de aula. Wellington lecionou inglês para turmas de ensino médio durante quatro anos, antes de embarcar na grande aventura de ser ator -- largou tudo para estudar teatro musical em Nova Iorque. "Gostava de tornar a aula divertida. Traduzia músicas e cantava junto com os alunos. Isso criava um bom clima, que me fez aprender a importância da alegria em sala de aula", recordou. O ex-professor define a alegria como sendo uma comunicação bem estabelecida para suprir a necessidade do outro. E também ressaltou que cocriar é cada vez mais o trabalho do professor em sala de aula para construir, junto com os alunos, novos saberes. Grupo Eleva disponibiliza cartilha de acolhimento do LIV Em sua palestra, Wellington citou Spinoza, Clarice Lispector, revelou que estuda futurismo e compartilhou experiências da época em que enveredou o caminho do trabalho social como integrande do The Big Apple Circus Clown Care Unit -- primeiro grupo de palhaços nos hospitais. Também ensinou algumas técnicas de teatro, comparando seus dois ofícios. "A imagem do professor remete ao ambiente cênico. Mas neste momento de ressignificação, ela ainda carrega esse elemento de encontro potente, sobre como inspirar e ser inspirado. Quando pudermos redesenhar essas relações e ressignificar nossos papeis, que seja trazendo mais potência, mais alegria." Lia Glaz, líder do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre o Professor e da área de políticas docentes do Instituto Península, apresentou os primeiros dados da pesquisa “Sentimento e percepção dos professores brasileiros nos diferentes estágios do novo coronavírus no Brasil”. O estudo foi inciado em maio, logo no início da suspensão das aulas presenciais nas escolas. Transformação digital na educação pós-pandemia será urgente Dividida em quatro fases, a pesquisa apresenta um retrato da situação atual dos professores, que estão se reinventando e transformando a relação com a escola, apesar das desigualdades em todo o país. Duas fases do estudo já foram concluídas, com 2.500 respondestes na primeira, pulando para 8 mil na segunda. O que, de acordo com Lia Glaz demonstra a vontade dos professores em relatar sentimentos neste momento. O levantamento responde, até então, a quatro questionamentos básicos: como estão os professores nesse momento como estão lidando com as mudanças de que forma estão reorganizando suas rotinas que tipo de apoio precisam "A percepção de despreparo era muito presente em todas as etapas de ensino, no primeiro momento. O cenário mais agravado foi na educação infantil, pela peculiaridade da faixa etária que dificulta estratégias", revelou Lia Glaz, ressaltando que as escolas rapidamente se organizaram, mas que o suporte de treinamento e apoio emocional era ainda muito incipiente, em todos os tipos de rede e todos os tipos de ensino. Segundo a pesquisadora, na segunda fase continua muito forte o pedido de treinamento para ensino remoto e suporte pedagógico, e também cresce o pedido de apoio -- o terceiro na pesquisa -- demanda que não é nova e aumenta muito na pandemia. Uma outra mudança entre as fases, esta positiva, é que os professores começaram a se organizar e saem em busca, eles mesmos, de cursos para o desenvolvimento profissional para lidar com desafios que surgem. "A pesquisa ainda demonstra que existe muito receio quanto ao retorno presencial, tanto por conta das questões sanitárias quanto pelo desconhecimento de como será essa volta. O Instituto, junto com o Consed, elaborou uma série de estratégias para dar suporte aos professores, para que se sintam mais acolhidos na sua função", anunciou Lia Glaz. A primeira edição do Prêmio Professor Transformador contou com a inscrição de cerca de 1.200 projetos. "Nossa luta é para que a BNCC seja, de fato implantada, para que cada vez mais professores desenvolvam as habilidades e competências nos nossos alunos, em todo o país", pontuou Wellington Cruz. Com o objetivo de reconhecer mais projetos desenvolvidos por educadores que contribuem para promover a transformação da Educação, alinhadas às diretrizes da BNCC (Base Nacional Comum Curricular), os organizadores anunciaram a abertura das inscrições online da segunda edição. A diretora de Conteúdo da Bett Educar finalizou a transmissão do evento convidando todos os participantes a realizarem o networking, comum a esse tipo de evento, na próxima edição presencial da Bett educar, em maio de 2021, em São Paulo. "Esperamos que, no próximo prêmio, possamos premiar os professores que conseguiram contagiar e motivar seus alunos nesse momento tão difícil pelo qual estamos passando. Professores, não percam nunca essa vontade de transformar", disse Maria Alice Carraturi. #educação #tecnologia #inovação #educador21 #betteducar #base2edu #prêmioprofessortransformador #eventoonline