Levantamento identifica características de retomada escolar em 20 países

Medidas sanitárias consistentes, comunicação clara e adoção de políticas para profissionais pertencentes aos grupos de risco são algumas das tendências observadas no estudo A pedido de uma coalizão de instituições do terceiro setor -- entre elas Fundação Lemann, Itaú Social, Instituto Unibanco e Instituto Natura --, o Vozes da Educação elaborou levantamento internacional inédito sobre a retomada escolar. O objetivo do estudo é apoiar estados e municípios no maior desafio educacional dos últimos tempos. A consultoria especializada em educação coletou dados de 20 países -- África do Sul, Chile, China, Uruguai, entre outros -- para identificar novos rumos e aprender com a experiência de outras localidades no momento de retorno presencial das aulas. Pesquisa aponta impactos da Covid-19 na relação escolar LIV homenageia educadores em vídeo emocionante Para a fundadora do Vozes da Educação, Carolina Campos, o documento não tem função opinativa sobre o que deve ou não ser feito. Mas o de ampliar o conhecimento de iniciativas bem sucedidas. "Não pretendemos dizer se as aulas devem ou não voltar. Acreditamos que essa é uma decisão local, que envolve não apenas o estágio da curva e as medidas sanitárias mas, sobretudo, um olhar para dentro de cada município, enxergando de peito aberto a sua própria realidade", disse Carolina Campos. O levantamento pode ser acessado, na íntegra, neste link. Os dados, levantados a partir de fontes oficiais, publicações de instituições de pesquisas e notícias, foram divididos nos seguintes eixos: estágio da curva de contágio funcionamento do comércio colocação no PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) estratégias de reabertura das escolas medidas sanitárias adotadas opinião pública transparência/comunicação do governo com a população e comunidades escolares Após análise detida do comportamento dos países, o levantamento cruzou as variáveis para identificar tendências e, inclusive, classificar países de acordo com a satisfatoriedade do processo de reabertura das escolas. Distanciamento social: regra de ouro na volta às aulas da Europa Empatia e segurança são prioridades na volta às aulas Ainda segundo o levantamento, os países classificados como satisfatórios são aqueles em que as escolas reabriram e não registraram contaminação entre alunos e professores que saísse do controle. Dentre os principais achados, pode-se dizer que uma retomada satisfatória envolve: Reabertura faseada e com curva estabilizada ou decrescente Comunicação clara e transparente do governo sobre os próximos passos Adoção de políticas específicas para profissionais pertencentes aos grupos de risco Implementação de medidas sanitárias consistentes e alinhadas com as especificidades dos países e escolas #educação #tecnologia #inovação #educador21 #voltaàsaulas #pandemia