• Educador21

Prêmio Professor Transformador muda limite de data dos projetos

Medida leva em consideração o ano adverso à Educação e tem como objetivo valorizar o protagonismo do professor no contexto da pandemia


Levando em conta os desafios que educadores de todo o país enfrentaram neste atípico ano letivo de 2020, a organização do Prêmio Professor Transformador mudou as regras do jogo. Agora, aceitará inscrições de projetos implementados em qualquer data, independentemente do ano letivo em que foram aplicados. Com a mudança, projetos desenvolvidos por professores em anos anteriores a 2020 também poderão ser inscritos, pois servem de inspiração para educadores de todo o país.


"Se antes o trabalho do professor já era mais puxado que a média mundial de muitas atividades, com ganhos menores em comparação a outros profissionais, imagina hoje que o trabalho invadiu as casas, avançou os limites do horário de expediente e dominou grande parte das vidas dos nossos docentes. Nesse contexto, reconhecimentos como o Prêmio Professor Transformador representam muito mais que celebração, são instrumentos de resistência e luta pela Educação", disse Wellington Cruz, presidente do Instituto Significare.


Promovido em conjunto pela Bett Educar, Instituto Significare e Base2edu para valorizar o protagonismo dos professores que promovem uma Educação Transformadora, as inscrições para o Prêmio permanecem abertas. Podem ser feitas gratuitamente pelo site do Instituto Significare.


Para participar, o educador interessado deve ter implementado o(s) projeto(s) em escola da rede pública ou privada até a data da inscrição -- em um dos quatro níveis do ensino básico: Educação Infantil, Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II e Ensino Médio. É importante, também, que os projetos tenham foco no desenvolvimento de competências dos alunos em consonância com a BNCC (Base Nacional Comum Curricular).

A segunda edição do Prêmio Professor Transformador reconhecerá não somente os educadores que serão escolhidos como vencedores, mas também todos aqueles que chegarem à etapa classificatória da premiação. Esses professores receberão o Certificado Professor Transformador 2021 e o Selo Digital Professor Transformador, além da possibilidade de indicar alguma liderança de sua escola para receber o Certificado Liderança Transformadora.

Os reconhecimentos serão conferidos aos 350 professores cujos projetos serão classificados para análise nas etapas finais da premiação. Esses educadores também terão os seus projetos inscritos no Banco de Práticas do Instituto Significare -- um espaço dedicado ao compartilhamento de práticas educacionais que podem inspirar professores de todo o país no dia a dia.


Os segundos e terceiros colocados em cada categoria vão receber, além do troféu, prêmio de R$ 2,5 mil e apresentarão seus projetos na Bett Educar 2021. Já os candidatos autores dos projetos classificados em primeiro lugar de cada categoria receberão um prêmio em dinheiro no valor de R$ 7 mil, troféu e participação especial como convidado na Bett Educar 2021.

A primeira edição do prêmio recebeu mais de 1.200 projetos inscritos. Entre os vencedores, o projeto "Códigos da Cidade", coordenado pelo professor Alberto Rodrigues, chamou a atenção dos alunos para a importância de iniciativas que colaborem para a preservação do meio ambiente, resultando inclusive na coleta de assinaturas para um abaixo-assinado em apoio à construção de uma unidade de tratamento de resíduos sólidos no município de Piraju (SP). A iniciativa foi reconhecida com o Prêmio Professor Transformador na categoria Ensino Fundamental I. Em São Paulo (SP), o projeto "Clube da Luta", coordenado pela professora Flávia Arante, vencedor na categoria Ensino Médio, abriu espaço para que as alunas pudessem compartilhar suas experiências de vida, expectativas, inseguranças e outros assuntos sobre os quais, muitas vezes, não conseguiam falar em suas casas, devido à pouca abertura para o diálogo. O potencial dos diferentes tipos de linguagem como ferramenta para integrar escolas e famílias também foi destaque em outros dois projetos vencedores da primeira edição do Prêmio: "Extra, extra, extra, tá na hora de brincar", coordenado pela professora Raelen Gonçalves, que desenvolveu um jornal da classe juntamente com os alunos do Ensino Infantil, em Mogi das Cruzes (SP). Já "Fanfiqueiros de Papel", desenvolvido pela professora Raquel Zandonadi, de Praia Grande (SP), utilizou a linguagem das chamadas "fanfics", narrativas construídas pelos fãs de séries, personagens e outras atrações de interesse do público jovem, para tornar mais atrativas as aulas de Língua Portuguesa. #educação #tecnologia #inovação #educador21 #betteducar #base2edu #prêmioprofessortransformador