• Educador21

Pós-graduação da Finlândia para professores chega ao Brasil

Parceria com Universidade de Helsinque garante a InterEDTech exclusividade na oferta do curso no Brasil


Professores brasileiros terão acesso, pela primeira vez, a um curso de pós-graduação a distância com base nas estratégias pedagógicas que tornaram a Finlândia um dos países com os melhores resultados em educação em todo o mundo.


O programa, chamado Pedagogical Star Lessons, chega ao Brasil pela parceria entre a Universidade de Helsinque e a InterEDTech -- empresa brasileira que atua na digitalização de instituições de ensino superior.

A edtech está com seu primeiro projeto de captação de recursos na modalidade nano-IPO via Platta -- plataforma de investimentos coletivos. O Nano IPO é um modelo de operação que permite a empresas com faturamento de até R$ 10 milhões no ano anterior realizar captação de recursos via equity crowdfunding. A projeção é captar R$ 700 mil. Iniciado em novembro, a startup educacional já obteve 50% do valor projetado.


"Com a qualidade do conteúdo e no modelo que será oferecido, o curso tem potencial para ser um divisor de águas na formação continuada de professores em todo o país", explicou Betina Von Staa, responsável por Transformação Acadêmica da InterEDTech.

A pós-graduação estará disponível ainda no primeiro semestre de 2021. Serão quatro módulos em um curso de 360 horas, integralmente em EAD, e trabalho de conclusão de curso opcional. Toda a metodologia é baseada em vídeos de sete minutos, que envolvem animação e cenas reais de sala de aula.


O objetivo é abordar na prática o que os docentes podem encontrar no exercício da profissão. Cada aula conta com uma proposta de reflexão e uma atividade . Uma vez por mês, o curso realizará uma live para a discussão e avaliação dos temas abordados ao longo da programação.

A metodologia fomenta no aluno uma postura ativa. O que permite aplicar rapidamente os conceitos aprendidos e conferir os resultados na prática. Todo o conteúdo será traduzido para o português — em vez de legendados, os vídeos são dublados.

O programa original é formado por 48 unidades. A cada duas unidades apresentadas o aluno terá um módulo de reflexão sobre as possibilidades efetivas de aplicação do conteúdo à realidade brasileira.


"O que o método apresenta são estratégias muito universais, que não dependem muito da cultura local. Ainda assim, teremos a cada duas unidades, um período para refletir sobre as aplicações do conteúdo na realidade do país", informou Betina.


A intenção é oferecer a programação tanto na esfera privada quanto na pública, de modo que seja disponibilizada a um grande número de docentes. Este é a melhor maneira de levar a um maior número de professores a possibilidade de um conteúdo educacional com resultados práticos já confirmados. A consequência disso é o início de um novo momento na educação do país.

A InterEDTech, marca da holding InterGroup, oferece cursos de extensão e MBA. Realiza todas as etapas de transformação digital em cursos de graduação e disponibiliza soluções de internet marketing, tecnologias de conversão e estratégia de funis de vendas para permitir às universidades novas fontes de receita via EAD.

"A digitalização da educação era algo que estava no planejamento estratégico de todas as universidades, algo a ser feito um dia. Veio a pandemia e a coisa se transformou em: ‘olha, esse dia é hoje; se você não fizer, vai fechar’", explicou Dado Guimarães, Chief Academic Officer (CAO) da InterEDTech.


Com o distanciamento social necessário, a InterEDTech viu triplicar os pedidos de universidades por suas soluções. "No início do ano, tínhamos basicamente um MBA e cerca de 30 cursos de extensão. Fechamos 2020 com dez MBAs e com uma ampliação de pelo menos três vezes no número de cursos de extensão", disse o CAO.


#educação #tecnologia #inovação #educador21 #edtechs #EAD #atualizaçãodeprofessores