• Educador21

Edtechs da Finlândia ressignificam desafios da pandemia

Empresas do setor de edtech da Finlândia descobriram novas oportunidades de cooperação e desenvolvimento em meio ao grande aumento de demanda por soluções de aprendizagem digital devido à pandemia do coronavirus

Zhanna Koiviola*


A Finlândia tem a reputação de ser uma superpotência tanto em tecnologia como em educação. Portanto não é nenhuma surpresa que o mercado local de

empresas de tecnologia educacional (edtech) esteja sempre desenvolvendo

soluções que atendam ao mercado internacional com o objetivo de tornar o

conhecimento acessível para todos e preservar o progresso das sociedades.

Sendo que este último, no momento em que vivemos, é impossível de acontecer sem envolver as competências digitais e o aprendizado de novas habilidades no futuro.


Para o período 2020-2021 a Finlândia planejou ensinar para 1% dos cidadãos da União Europeia o básico sobre inteligência artificial. Através do Elements of AI, um curso online gratuito, desenvolvido pela Universidade de Helsinque a companhia finlandesa de tecnologia Reaktor e disponibilizado em todos os idiomas oficiais da União Europeia.


O curso gratuito foi lançado na primavera europeia quando a Finlândia e o resto do mundo estavam aprendendo novas lições sobre a pandemia do inesperado coronavirus. O subsequente lockdown das cidades, incluindo o fechamento em massa das escolas, disparou uma série de esforços em larga escala para rapidamente encontrar e introduzir métodos alternativos de ensino. A utilização da tecnologia como suporte a educação ganhou prioridade sobre as demais iniciativas como o Elements of AI.

Vendo a pandemia causar uma disrupção sem precedentes na educação, edtechs finlandesas juntaram suas expertises para responder aos desafios. O site Koulu.me foi lançado em março, relacionando inúmeros players do mercado local prontos para apoiar e ajudar os educadores e provê-los com acesso livre a conteúdos atraentes na área educacional.


“Tempos excepcionais pedem medidas excepcionais”, disse Jouni Kangasniemi,

diretor do programa de educação da Finlândia (Education Finland). “Estou feliz em ver que as soluções e conteúdos das edtechs finlandesas estão agora disponíveis para das continuidade e sentido ao aprendizado tanto na Finlândia como no mundo.”


As soluções das edtechs finlandesas logo se tornaram um ativo valioso da Teach Millions, uma extensa iniciativa que apoia professores do mundo inteiro através de um acordo de uso de ferramentas de e-learning gratuitas desenvolvidas na região nórdica-báltica e disponibilizadas em diversos idiomas incluindo Inglês, Francês, Alemão, Árabe moderno, Russo e Espanhol.

Ilustração Kide Science

Em abril outro exemplo animador de trabalho colaborativo entre países e continentes foi dado pela Funzi, empresa finlandesa de ensino móvel (mobile learning) e participante das plataformas Koulu.me e Teach Millions. O curso online da Funzi, "Covid-19: adapt and thrive" (adaptar e crescer) foi lançado na África do Sul como parte da iniciativa de combate ao coronavirus no país. Mais ainda, as Nações Unidas na África do Sul manifestaram sua intenção de escalar o curso para todas as nações africanas.


Graças ao seu trabalho com educação criativa, a Arkki rapidamente ofereceu ao mercado uma solução digital gratuita, a ARKKI@home, que permite que crianças ao redor do mundo se divirtam e desenvolvam sua criatividade através de atividades mão na massa nas áreas de arquitetura e desenho de projetos, enquanto confinadas em casa. A empresa anunciou posteriormente uma grande quantidade de feedbacks positivos de países mais distantes, como Japão, China, Vietnam, Costa Rica, Tailândia e Qatar.

O objetivo compartilhado de solucionar a crise no ensino mundial e de garantir um futuro sustentável para o mercado das edtechs após o fim da pandemia resultou em novas parcerias entre edtechs finlandesas e educadores com o mesmo tipo de entusiasmo e comprometimento ao redor do mundo.


No meio de junho último, a School Day anunciou uma parceria estratégica com a WholeSchools -- grupo de consultoria educacional baseado no México para introduzir naquele mercado e na América Latina sua solução para escolas, já reconhecida internacionalmente -- de análise do bem-estar dos alunos.


Em meio a tudo isso, a New Nordic School ingressou em uma parceria com a Global Services in Education  com o objetivo de levar para escolas de todo o sudeste da Ásia seu poderoso sistema de IA (AI–powered K-12) para apoio aos professores. O processo de expansão na região será facilitado em razão dos 2,5 milhões de euros que a parceria angariou.


No início de junho, a Playvation, especializada em aprendizado de idiomas para crianças baseada em Espoo, recebeu uma significante injeção de capital. O criador de Moomin Language School levantou 700 milhões de euros em uma rodada de inicial de investimentos liderada por Sparkmind.vc para acelerar seu crescimento internacional em mercados-chave da Ásia e Europa.

FOTO: Moomin Language School

Para a empresa Kide Science, especializada nos primeiros anos do ensino de ciências, esse aprendizado inicial é desafiador e trouxe muitas oportunidades promissoras. Em abril, a companhia lançou seu produto online para famílias se engajarem em experimentos mão na massa na China em cooperação com um parceiro local.


Em maio e junho, dando sequência à sua expansão global, a Kide Science fechou acordos com a Starlight Education -– grupo de Taiwan -– e com a InNordics Hong Kong, assim como uma rede de jardim de infância e escolas da Tailândia. Todos esses acordos devem confirmar que o modelo de ensino divertido de ciências nos primeiros anos de aprendizado estimulam a imaginação das crianças e acendem a centelha da curiosidade científica para muito além da Finlândia.


Especialistas acreditam que com a exposição massiva das edtechs finlandesas devido à pandemia, o solo foi trabalhado para a transição digital da área educacional. Vamos acompanhar!


*Tradução do site goodnewsfromfinland

Finnish edtech sector turns pandemic challenges into opportunities


#educação #tecnologia #inovação #educador21 #edtechs #edetechspelomundo