• Débora Thomé

5 habilidades desejáveis para o educador do século 21

Os professores devem desenvolver um rol de habilidades específicas para enfrentar o conjunto único de circunstâncias em uma sala de aula do século 21


O professor do novo século não é mais um mero transmissor de informações e nem o detentor do conhecimento. Ele precisa interagir com outras disciplinas e produzir conhecimento junto com outros professores.


Também deve estar em sintonia com os anseios de seus alunos e estimulá-los a questionar, debater e romper paradigmas -- e, assim, desaprender para reaprender enquanto ensina.


Para prosperar em sala de aula e navegar nas dificuldades modernas, aos professores não basta mais o domínio das teorias educativas. Devem, também, ter certas habilidades desenvolvidas, que seus predecessores não tiveram -- que atualmente são chamadas de 'soft skills'.


O Educador21 foi conversar com três especialistas da área para saber quem é o educador do século 21?

O Brasil, segundo dados dos últimos censos educacionais do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), referentes a 2017, tem mais de 2,5 milhões de professores. Desses, 340 mil estavam na ativa na época do levantamento.

Mas, segundo a professora e diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais da Fundação Getúlio Vargas (Ceipe-FGV), Claudia Costin, ser professor é uma das carreiras mais complexas que existe. Especialmente no Brasil.


A ex-secretária de Educação do Município do Rio de Janeiro fez uma lista de condições desfavoráveis, a se destacarem estes três itens:

  1. baixo reconhecimento profissional

  2. formação inadequada

  3. complexo de autopiedade

"Diante de todo esse quadro de desvalorização do professor que infelizmente nós conhecemos bem, e com toda a adversidade em exercer o ofício, o professor acaba por desenvolver um sentimento de autopiedade que trava sua evolução. Nós, professores, precisamos nos orgulhar da nossa função para podermos desenvolver boas práticas, mesmo em condições desfavoráveis", disse Cláudia Costin.

Dessa forma, se inteirar sobre novas tendências que estejam a caminho deve encabeçar a lista de preocupações dos professores que exercem a profissão neste momento de profundas transformações na Educação. Na opinião da diretora da área na Microsoft Brasil, Vera Cabral, o mais importante é que o educador do século 21 perca o medo.


"A mesma pandemia que mostrou nossas deficiências também está provando que os professores são capazes de se reinventar, de superar adversidades. Temos um caminho novo a percorrer, e precisamos entender como fazer a tecnologia permear todo o processo de formação dos estudantes", pontuou a especialista.


O letramento digital também é uma das habilidades apontadas como fundamentais para o educador do século 21. De acordo com Luciana Allan, diretora-técnica do Instituto Crescer.

  • saber desenhar aulas para oferta em ambientes híbridos

  • ter habilidades de comunicação e expressão em diferentes meios

  • capacidade de trabalhar com dados para direcionar o processo de aprendizagem e personalizar o ensino

  • promover a cidadania digital

  • capacidade de aprender e desaprender sempre

"Como temos visto cada vez mais, o conteúdo está disponível, a qualquer hora, em qualquer lugar e a partir de qualquer mídia. O que os estudantes precisam aprender é como acessá-lo, como interpretá-lo, como gerar novos conhecimentos e criar coisas novas a partir do que tiveram acesso e das relações que estabeleceram", complementou a diretora.


Confira, a seguir, as cinco chamadas 'soft skills' apontadas por esse trio como habilidades desejadas ao educador do século 21.

Colaboração

O professor não pode mais ser o profissional liberal que atua sozinho. Cada vez mais, professores precisam trabalhar juntos para ensinar de forma mais eficaz e ganhar suporte aos pares. Vale compartilhar em plataformas online, grupos de WhatsApp, assistir às aulas dos colegas. E, mais importante, procurar soluções colaborativas de problemas e fazer parte do time escolar.


Resiliência

Professores modernos precisam ser ágeis para se adaptar ao ambiente educacional sempre em mudança. Esta habilidade é fundamental para acompanhar novos estilos de aprendizagem -- e a pandemia do coronavírus provou que tudo é possível quando se está aberto ao novo para alcançar a própria capacidade de reinvenção.


Comunicação

Manter uma linha de comunicação aberta com alunos e responsáveis é, mais do que nunca, uma necessidade dos dias atuais. Os educadores também devem ter certeza de ter um plano com a escola para políticas de comunicação saudáveis. E manter os processos pedagógicos visíveis e compreensíveis, especialmente para os estudantes.


Criatividade

Só porque muitas escolas têm maiores restrições curriculares não significa que os professores ainda não possam se divertir com as suas aulas. Os alunos apreciam formas criativas para se preparar para os exames que atendem a múltiplos estilos de aprendizagem ao mesmo tempo.


Empatia

Mais do que se colocar no lugar do outro, empatia é tentar entender o que seu par precisa. Por isso, estabelecer conexões com os alunos é uma habilidade importante para ajudá-los, inclusive, a superar barreiras. E desenvolver essa habilidade é uma questão de autoeducação -- há que trabalhá-la em si mesmo antes de ajudar a desenvolver em seus alunos.


#educação #tecnologia #inovação #educador21 #softskills #diadoprofessor